Como mudar os pneus

Os pneus não duram eternamente. As duas principais razões pelas quais uma pessoa compra pneus novos são o desgaste do piso e os danos.

QUATRO OU DOIS A DOIS?

O ideal: as 4 rodas da viatura devem estar equipadas com pneus idênticos ou pelo menos semelhantes (conjunto de dois).

Alguns aspetos a respeitar aquando da mudança dos pneus:

  • mudar sempre os pneus 2 a 2 ou os 4: É fundamental que os pneus do mesmo eixo sejam rigorosamente idênticos: a mesma marca, a mesma escultura, as mesmas dimensões, os mesmos índices (velocidade e carga);
  • privilegiar sempre as dimensões homologadas pelo construtor do veículo (limitar as transformações ou consultar um profissional);
  • colocar sempre os pneus mais novos no eixo traseiro para limitar as perdas de aderência, tratando-se de um veículo com duas ou quatro rodas motrizes, de tração ou de propulsão. Na verdade, estas são mais dificilmente controláveis no eixo traseiro.

A Lucas & Filhas Lda recomenda vivamente respeitar as dimensões homologadas pelo construtor do veículo. No entanto, é possível alterar a dimensão dos pneus do veículo.

DESGASTE, REBENTAMENTO, REPARAÇÃO

Aconselhamos-te vivamente a controlar o estado dos pneus uma vez por semana. Uma vez por mês, verifica a pressão, a profundidade do piso, verificar se apresentam danos laterais ou qualquer outro sinal de desgaste. Em caso de dúvidas, contacta a Lucas & Filhos para confirmar a capacidade de rodar do pneu.

Cinco razões para mudar os pneus

Cinco razões que exigem a mudança de um pneu. Se, em certos casos, o pneu for reparável, antes de qualquer reparação, um profissional deve realizar um exame minucioso. Só o profissional poderá confirmar que o pneu não apresenta danos internos. A desmontagem do conjunto é uma operação fundamental para conseguir avaliar o verdadeiro estado do pneu.

1 – O pneu está rebentado

Caso esteja rebentado, o pneu deve ser inspecionado por um profissional. É a única pessoa que pode garantir que o interior não sofreu qualquer dano que possa tornar o pneu irreparável.

2 – O limite de desgaste legal foi atingido

O que o Código da Estrada diz:

  • “O limite de desgaste de 1,6 milímetros indica a altura mínima de borracha permitida.“
  • ”A diferença entre a profundidade das ranhuras principais dos 2 pneus montados no mesmo eixo não deve ultrapassar os 5 milímetros”.
3 - Os pneus apresentam sinais de envelhecimento

É difícil prever a duração de utilização dos pneus. Não depende da data de fabrico. Os pneus que não andaram ou que pouco andaram podem apresentar sinais de envelhecimento. Os diversos fatores que podem afetar a vida útil dos pneus: condições climatéricas, condições de armazenagem e utilização, carga, velocidade, pressão de enchimento, manutenção, etc. Cada um destes fatores pode alterar consideravelmente a vida útil dos pneus. Para mais informações, consulta os nossos conselhos de utilização e de segurança.

4 – O pneu está danificado

Um passeio, um furo ou um objeto pode ter danificado seriamente o pneu. Todas as perfurações, cortes ou deformações devem ser inspecionadas cuidadosamente por um profissional. Só ele poderá dizer se é possível reparar o pneu. Regra geral, nunca deves andar com um pneu danificado ou vazio sem consultares um profissional. É uma regra de segurança visto que cada inspeção realizada por um profissional após a desmontagem pode confirmar que o pneu não sofreu danos internos.

5 - O pneu apresenta um desgaste anormal

Um desgaste anormal do piso – localizada em certos sítios, no centro ou nos ombros – é sinal de um problema mecânico como um defeito ou paralelismo, de equilibragem, de suspensão ou de transmissão. Poderá também ser consequência de uma pressão mal adaptada. À menor anomalia, contacta um profissional.